Os 10 melhores treinadores de futebol do Mundo

Os melhores treinadores de futebol do Mundo | ARSÈNE WENGER
Arsène Wenger ocupa o sétimo lugar da lista dos melhores treinadores de futebol do Mundo

05 – Os melhores treinadores de futebol do Mundo | ARSÈNE WENGER

Wenger é um caso raro entres os melhores treinadores de futebol: apesar de nem sempre ter bons resultados nos clubes que dirige, consegue se manter no cargo por bastante tempo, e sempre recebendo respaldo da diretoria. E isso vem acontecendo praticamente desde o início de sua carreira.

Em seu primeiro trabalho como treinador de futebol, no Nancy, na temporada de 1984-85, levando o time à décima primeira posição do torneio, bem longe da zona de rebaixamento que o clube costumava frequentar.

Isso atraiu a atenção de clubes maiores da França, mas a diretoria do time não rescindiu seu contrato, ainda que tenha terminado a temporada seguinte com o clube quase rebaixado, e só o liberou para assinar com outra equipe ao final da temporada 1987-88, quando o time finalmente voltou para a Ligue 2 francesa.

Mas, bem diferente do que acontece aqui no Brasil, a diretoria isentou toda a culpa do treinador de futebol, falando que ele fez o que podia, mas que a falta de dinheiro do clube realmente impedia que qualquer resultado melhor fosse almejado. Ah se fosse o Vasco…

Na temporada seguinte, deu-se o primeiro ano do treinador de futebol frente a um clube de ponta, o Monaco. Com um ótimo ano de estreia, levou o time ao título da Ligue 1 em 1987-88. Apesar do bom começo, passou o restante de suas temporadas no time batendo na trave, sempre em segundo ou terceiro no campeonato, tendo como principal algoz o Olympique de Marseille.

Com o Monaco, Wenger vou a levantar uma taça apenas na temporada de 1990-91, quando levou a Copa da França. E, apesar da falta de títulos, se manteve firme no cargo até 1994, quando resolveu abandonar a França, alegando que havia muitos subornos e corrupção no esporte do país. No mesmo ano, o Marseille foi considerado culpado num dos maiores escândalos de combinação de resultados do país.

Wenger se manteve no comando do time até agosto de 1996 quando, ao receber um convite de seu amigo David Dein, assumiu o comando do Arsenal, um dos principais clubes do futebol inglês, frustrando a imprensa londrina, que esperava que o nome anunciado fosse o do ex-treinador do Barcelona, Johan Cruyff.

No time inglês – no qual se mantém até hoje no cargo – Wenger não demorou muito para ter sucesso. Reaproveitando a base defensiva deixada pelo antigo treinador de futebol Bruce Rioch, mais algumas contratações pontuais para que o time tivesse a ofensividade que ele tanto buscava em suas equipes – a dupla de volantes Petit e Vieira, o ponta Marc Overmars e os atacantes Dennis Bergkamp e o então adolescente Nicolas Anelka.

Os anos seguintes não foram tão bons e, depois de deixar escapar dois campeonatos na última rodada e perder uma final da Copa da UEFA para o Galatasaray, resultados que criaram o rumor de que o treinador de futebol poderia estar deixando o clube numa transferência para o Barcelona.

Ao invés disso, Wenger acertou a renovação por mais quatro anos e, na temporada 2001-02, levou o clube a mais uma “dobradinha”, com os títulos da Premier League e FA Cup. O ano seguinte o time novamente ganhou a FA Cup, sendo Wenger o primeiro dos mlhores treinadores de futebol a ganhar o título por dois anos consecutivos.

Na temporada seguinte, Wenger mais uma vez faz história, ganhando a Premier League de 2003-04 invicto – um feito que apenas havia sido alcançado pelo Preston North End, 115 anos atrás e quando o campeonato ainda se chamava Football League. Na temporada seguinte, novamente um título da Fa Cup, o quarto do treinador de futebol no comando do clube.

E, apesar desse ter sido o último título que o clube inglês ganhou nos últimos oito anos, o treinador de futebol francês conseguiu se manter sem ameaças ao cargo durante todo esse tempo, numa mostra de um diretoria que entende que, mais do que títulos, o clube deve buscar um bom futebol.

E bom futebol é o que os clubes de Wenger sempre demonstraram. Adepto de um futebol ofensivo de toque de bola e retenção de posse, com o time sempre pra frente e buscando o gol, sempre é ótimo ver o jogo de uma equipe comandada por Wenger.

E tudo isso gastando bem menos que seus adversários diretos já que, ao invés da busca por medalhões, o clube busca sempre trazer jovens promessas ou jogadores habilidosos que ainda não despontaram grande interesse, e essa é uma filosofia do treinador de futebol desde que chegou ao clube, onde revelou para o mundo craques como Henry, Vieira e Fábregas. E é por ser o melhor utilizador do “bom e barato” que o olho clínico de Arsène Wenger ocupa o quinto lugar da lista dos melhores treinadores de futebol do Mundo.

Os melhores treinadores de futebol do Mundo | Estatísticas da carreira do treinador:

  • Nancy – 114 jogos, 33 vitórias, 30 empates e 51 derrotas (aproveitamento de 28.95%)
  • Monaco – 266 jogos, 130 vitórias, 53 empates e 83 derrotas (aproveitamento de 48.87%)
  • Nagoya Grampus Eight – 56 jogos, 38 vitórias e 18 derrotas (aproveitamento de 67.86%)
  • Arsenal – 916 jogos, 522 vitórias, 218 empates e 176 derrotas (aproveitamento de 56.99%)

Os melhores treinadores de futebol do Mundo | Os melhores treinadores de futebol do Mundo